Valter Moreno propõe atuação do dentista na UTI

O presidente da Câmara Municipal, Valter Moreno, protocolou um projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade da presença de cirurgiões dentistas na UTI.

Publicado em: 27 de março de 2015

 Hospital São Francisco tem promovido capacitação de profissionais

 

O presidente da Câmara Municipal, Valter Moreno Panhossi, protocolou um projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade da presença de cirurgiões dentistas nas unidades de terapia intensiva. A proposta será lida e encaminhada às comissões permanentes do Legislativo.

Valter Moreno percebeu a importância de se criar uma lei municipal após visitar o curso oferecido pelo Hospital São Francisco de Assis, em parceria com a Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva e o Instituto Brasileiro de Odontologia Intensiva, para os profissionais atuarem na UTI. “Em conversa com o Dr. Dalton e Dra. Rose, decidimos sair na frente e trazer essa proposta para Tupã diante da necessidade de se corrigir a deficiência do sistema de saúde. A presença dos dentistas pode reduzir as infecções hospitalares, principalmente as respiratórias que representam a segunda maior taxa de infecção em hospitais, com índices que variam 10% a 15%. Entre esses pacientes, 20 a 50% chegam a falecer”, observou.

Segundo o vereador Valter Moreno, nas unidades de terapia intensiva, as taxas sobem para 20% a 40% de incidência, com mortalidade podendo atingir 80% dos infectados. “A higiene bucal é questão essencial para evitar doenças graves, como a endocardite bacteriana. Além disso, existem pneumonias que podem ser provocadas por bactérias na boca”, comentou.

 Valter Moreno é o autor dos projetos de lei que implantaram o teste da “orelhinha” nos recém-nascidos para detectar perdas auditivas de forma precoce e o teste do “olhinho” que pode detectar qualquer alteração que cause obstrução no eixo visual.

 

Aperfeiçoamento

 

            No dia 22 deste mês, o Hospital São Francisco promoveu mais um encontro da terceira turma do curso de aperfeiçoamento odontológico na UTI. O cirurgião dentista e professor do curso, Keller de Martini, coordenador da comissão de odontologia hospitalar do Conselho Regional de Odontologia do Estado de São Paulo, observou que a maioria dos profissionais é formada desde a graduação para atuar em consultório odontológico e não nos hospitais. Por isso, o curso tem o papel de preparar o profissional. “A UTI já tem médico, enfermeiro e fisioterapeuta. Faltava a inserção do dentista”, disse.

            Para o cirurgião dentista, professor do curso e coordenador da equipe de odontologia hospitalar do hospital das clínicas da faculdade de medicina da USP, Frederico Medeiros, são muitos os benefícios do atendimento odontológico na UTI. “É possível fazer a remoção de focos infecciosos desses pacientes, reduzir gastos para o hospital e trazer uma melhor saúde para paciente na UTI, para que ele tenha uma resolução do seu caso de uma forma mais rápida e tenha uma saúde melhor”, disse.

O Hospital São Francisco de Assis se tornou uma referência em odontologia hospitalar. “Nós temos profissionais de todo o Brasil se deslocando até Tupã em busca de capacitação”, destacou a odontopediatra Dra. Rose Chiaradia.

Segundo o presidente do Hospital São Francisco de Assis, Dr. Dalton Chiaradia, a terceira turma do curso conta com a participação de profissionais de Nova Andradina e Aquidauana (Mato Grosso do Sul), Cornélio Procópio (Paraná), Rio de Janeiro, Presidente Prudente, Marília, Adamantina e Lins. As aulas acontecem uma vez por mês em Tupã.

A coordenadora do programa de saúde bucal em Aquidauana, Melissa Pacheco, disse que a presença do cirurgião dentista na UTI foi uma exigência do serviço de auditoria municipal. Por isso, ela está participando do curso em Tupã. “Vim buscar conhecimento para qualificar o atendimento em minha cidade”, comentou.

Valter Moreno elogiou a iniciativa do Hospital São Francisco de Assis. “O Dr. Dalton e a Dra. Rose estão de parabéns por desenvolverem esse importante trabalho na área da saúde que tem reunido profissionais de diversas regiões do Brasil. Com certeza, a Câmara Municipal e o Poder Executivo devem apoiar essa iniciativa. Precisamos do cirurgião dentista atuando na UTI e também auxiliando aquelas pessoas acamadas”, observou.

 

Assessoria de Comunicação


Publicado por: Assessoria de Comunicação

Cadastre-se e receba notícias em seu email