Palestra sobre Leishmaniose e Prevenção acontece nesta sexta-feira em Tupã

Atendendo os vereadores Alexandre Scombatti e Capitão Neves, a Prefeitura e a Câmara Municipal, em parceria com o CRMV, a Associação dos Médicos Veterinários e Zootecnistas de Tupã e Região e Instituto Federal, promoverão uma palestra sobre Leishmaniose.

Publicado em: 21 de agosto de 2017

Alexandre Scombatti e Capitão Neves solicitaram a realização da palestra

 

Atendendo a indicação nº 374/2017 de autoria dos vereadores Alexandre Scombatti e Capitão Neves, a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Saúde e a Câmara Municipal, em parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-SP), a Associação dos Médicos Veterinários e Zootecnistas de Tupã e Região e Instituto Federal, promoverão uma palestra sobre Leishmaniose e Prevenção. O evento, que é aberto ao público, acontece nesta sexta-feira, dia 7, às 19 horas, no Instituto Federal.

A palestra será ministrada pelo médico veterinário Carlos Augusto Donini, que é mestre em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP).

Por ser preocupante a questão da leishmaniose na sociedade, os vereadores Alexandre Scombatti e Capitão Neves propuseram ao presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária, Dr. Mário Eduardo Pulga, e ao conselheiro efetivo do CRMV, Dr. Fábio Manhoso, a realização de uma palestra sobre para os funcionários da área da saúde, veterinários e zootecnistas de Tupã e região, bem como a população interessada em conhecer mais essa enfermidade.

A leishmaniose é transmitida ao homem (e também a outras espécies de mamíferos) por insetos vetores ou transmissores, conhecidos como flebotomíneos. Como o próprio nome indica, a leishmaniose visceral afeta as vísceras (ou órgãos internos), sobretudo fígado, baço, gânglios linfáticos e medula óssea, podendo levar à morte quando não tratada.

A enfermidade é causada por um protozoário transmitido por meio de picada da fêmea do mosquito-palha infectado - Lutzomyia longipalpis. A espécie também ataca humanos e a doença pode levar à morte em 90% dos casos. Nas Américas, 90% dos casos de leishmanioses são registrados no Brasil.

Para o vereador Alexandre Scombatti, é importante que a sociedade se envolva na prevenção dessa doença. “Fica nosso convite para que a população participe desta palestra e tire suas dúvidas sobre a leishmaniose”, disse.


Publicado por: Assessoria de Comunicação

Cadastre-se e receba notícias em seu email