Região de Marília tem 32 casos confirmados de gripe suína

Em Tupã, foram notificados 45 casos, mas apenas oito confirmados; região segue com uma morte registrada

Publicado em: 25 de agosto de 2009

Em Tupã, foram notificados 45 casos, mas apenas oito confirmados; região segue com uma morte registrada

A região de Marília abrangida pela Diretoria Regional de Saúde (DRS), que compreende 37 municípios, incluindo Tupã, notificou até o momento 257 casos de gripe suína (Influenza A H1N1). Apesar do alto número de suspeitos, apenas 37 casos da doença foram confirmados por exame e somente uma morte registrada, na microrregião de Marília.

Em Tupã, a Secretaria de Saúde notificou 45 casos da doença, mas apenas oito estão confirmados por exame. “Felizmente, nenhum caso grave da nova gripe foi registrado em nossa cidade”, comentou a vereadora e médica pediatra Dra. Lucília Donadelli (PV), que participou na segunda (24) de reunião na DRS com médicos da região para atualização dos dados da doença na região.

O número de mortes em decorrência da nova gripe no país chegou a 504, 151 óbitos apenas no Estado de São Paulo, que segue com o maior número de mortes. Na região de Marília, foram confirmados casos da doença em Marília (20), Tupã (8), Osvaldo Cruz (2) e Álvares de Carvalho (2), totalizando 32 casos.

Do total de 257 casos notificados da doença na região, 40 são gestantes, 77 crianças e 140 adultos. “Apesar de ter recuado, o vírus ainda circula com força no país e por isso é importante tomar alguns cuidados”, recomenda a especialista, que lembra que a prevenção é a melhor forma de evitar o contágio com o vírus Influenza A.

Cuidados simples como lavar bem as mãos com água e sabão sempre que chegar da rua ou antes de se alimentar, evitar levar as mãos aos olhos, boca e nariz, não compartilhar objetos de uso pessoal e ainda evitar locais fechados e com muita aglomeração, reduzem as chances de contaminação.

“Além disso, cuidar da alimentação e manter hábitos de vida saudáveis também são importantes para fortalecer o organismo contra esse vírus”, completa Dra. Lucília. Mas se adoecer, a vereadora reforça o alerta que vem sendo bombardeado pelo Ministério de Saúde: procurar um médico e evitar a automedicação. “Alguns antigripais podem mascarar os sintomas da nova gripe e com isso dificultar o início do tratamento”, alerta.

A vereadora usou seu conhecimento para transmitir na sessão da Câmara algumas características da gripe suína, muito semelhante à gripe comum. De acordo com a Dra. Lucília, a nova gripe é altamente contagiosa e é transmitida pelo contato direto com o doente ou através de objetos contaminados e se apresenta sob a forma de surtos ou epidemias.

“Trata-se de um vírus novo, a partir de uma mutação genética viral, que na maioria dos casos é benigna, mas pode evoluir para um quadro grave e levar à morte”, alerta a vereadora.

Os primeiros casos da doença começaram a surgir em abril deste ano, nos Estados Unidos, México e Canadá. No Brasil, os primeiros registros foram verificados em julho deste ano. De acordo com a Dra. Lucília, para a população é importante prestar atenção aos sintomas como febre, dor de garganta, dores musculares, cefaléia, calafrios e fadigas, que na gripe suína vêm acompanhados por febre superior a 37º. “A maioria dos casos da nova gripe são leves ou moderados; apenas uma pequena parte são graves, concentrados principalmente nos grupos de risco”, informa.

E quais são esses grupos de riscos? De acordo com os especialistas, pessoas menores de dois anos e maiores de 60 anos são mais suscetíveis a esse novo vírus, acompanhados por gestantes, soropositivos, transplantados, portadores de doenças crônicas, diabéticos e obesos.

Por último, a vereadora revela que o remédio Tamiflu, indicado para o tratamento da doença, só é eficaz apenas nas primeiras 48 horas da manifestação dos sintomas e que a vacina contra a nova gripe ainda está sendo testada. 

Andréia Simões
Assessoria da Câmara Municipal


Publicado por: Andréia Simões

Cadastre-se e receba notícias em seu email