Prefeito e Luis Carlos anunciam construção do teatro municipal

DADE aprovou projeto e recursos do turismo deste ano serão usados na obra, que abrigará também o espaço das artes

Publicado em: 13 de maio de 2009

DADE aprovou projeto e recursos do turismo deste ano serão usados na obra, que abrigará também o espaço das artes

O Departamento de Apoio às Estâncias do Estado de São Paulo (DADE) aprovou o projeto para construção do teatro municipal e revitalização do espaço das artes de Tupã. O anúncio foi feito pelo prefeito Waldemir Gonçalves Lopes durante coletiva à imprensa, onde confirmou a destinação dos recursos do turismo deste ano para a construção do teatro, um sonho antigo dos grupos teatrais que começa a se tornar realidade.

A coletiva reunião ainda o vereador Luis Carlos Sanches (PTB), autor da indicação para utilizar os recursos do DADE na construção do teatro, secretários municipais, os vereadores Dra. Lucília Donadelli (PV) e Lucas Machado (PSDB), grupos teatrais e representantes da Associação dos Artistas e Artesãos de Tupã e Região (AAART).

A secretária de Cultura e Turismo, Aracelis Góes Morales, agradeceu aos membros da AAART, que concordaram em ceder ao município o espaço da avenida Tamoios, pois sem essa cessão, a Prefeitura estaria impossibilitada de aplicar os recursos para a construção do teatro no local. “Em nenhum momento a AAART se opôs ao projeto e por isso quero agradecer, em nome da população tupãense, os artistas que devolveram o espaço para o município”, ressaltou.

Ela também agradeceu o arquiteto Edvaldo Sanches pela “cessão de um projeto de tamanha amplitude para o município” e destacou o trabalho conjunto com os grupos teatrais da cidade, “um trabalho de formiguinha que vem crescendo com a administração Waldemir”.

Por último, ela destacou a participação do vereador Luis Carlos Sanches, “que sempre brigou pelo teatro em Tupã e conseguiu que o dinheiro do DADE fosse utilizado nesta obra”. “Tenho orgulho de saber que fizemos parte desta importante conquista”, finalizou.

Representante da AAART, Mário Vieira dos Santos relembrou o processo de doação do prédio para o município e da incansável batalhadora Maria Sismeiro. “É com muita alegria que vemos o espaço das artes ser devolvido para o município dar sequencia a este grandioso projeto”, afirmou.

Modernidade

O projeto da construção do teatro e revitalização do espaço das artes foi amadurecido junto com os grupos de teatro, conforme ressaltou o arquiteto Edvaldo Sanches. “O projeto foi executado com segurança para a população usufruir deste espaço, que será referência para a região”, afirmou.

A obra abrangerá a reforma, ampliação e adequação do edifício construído nos anos 40 para abrigar um destacamento do Exército Brasileiro no início da 2ª Guerra Mundial. De 1949 até 1961, o local foi ocupado pelo colégio Índia Vanuíre. Depois disso, o prédio serviu de sede para repartições públicas até 1968, quando foi então cedido para a Faculdade de Educação Física até 1992. Em 1998, já com sua estrutura comprometida, o espaço fechou suas portas.

“A construção do teatro é um anseio antigo, de quase 80 anos, dos atores e artistas de Tupã. Muitos deles morreram sem ver o teatro ser construído”, comentou Luis Carlos Sanches, um apaixonado pelo teatro, que logo que assumiu seu mandato na Câmara tratou de apresentar indicação ao prefeito Waldemir solicitando a construção do espaço com recursos da estância turística.

“O prefeito pediu um tempo para pensar e depois, na presença da secretária Aracelis e do secretário de governo Adriano Rigoldi, me disse que o teatro seria construído com essa verba”, relembrou o vereador, que em nome dos grupos de teatro de Tupã, dos membros da AAART e da “tia Maria”, agradeceu ao prefeito Waldemir por ter se sensibilizado com o sonho dos artistas. “O senhor será sempre lembrado como o prefeito que construiu o teatro de Tupã”.

Prefeito Waldemir falou do trabalho incansável do vereador Luis Carlos, que foi o elo entre os artistas e a administração. “Ele me convenceu de que o dinheiro do turismo, que já tinha destino para este ano, poderia ser direcionado para o teatro”, contou.

Relembrando do desânimo que havia no setor de teatro no início do seu primeiro mandato, Waldemir disse que procurou os grupos para ver o que a Prefeitura poderia fazer para não morrer a vontade de fazer cultura na cidade. “Hoje, minha satisfação é ver que falta cadeira para abrigar o público durante os espetáculos”.

O chefe do executivo também destacou o “arrojo” do arquiteto Edvaldo Sanches e dos artistas que abriram mão do seu espaço para devolvê-lo à sociedade. “Este espaço será um centro de cultura e entretenimento para uso da comunidade e dos artistas”, disse.

Andréia Simões
Assessoria da Câmara Municipal


Publicado por: Andréia Simões

Cadastre-se e receba notícias em seu email